Resenha: Areia nos Dentes - Antônio Xerxenesky


Areia nos Dentes foi escrito por Antônio Xerxenesky e a minha cópia foi publicada pela Isto Não é uma Editora (sim este é um nome bem peculiar para uma editora e para saber mais acesse aqui rs) mas recentemente foi publicado também pela Rocco.

Quando solicitei esse livro pelo Skoob Plus eu não sabia o que esperar, na verdade nem sabia que o autor era nacional (não sou de ficar procurando sobre os autores quando vou adquirir um livro, vou pela sinopse, ás vezes pela capa...) mas quando descobri fiquei ainda mais curiosa para ler, já que estou descobrindo tantos autores incríveis e nacionais. (Caso alguém não saiba eu tinha um pé atrás com autores nacionais, mas agora já estou curada!)

O primeiro pensamento quando vi o livro? Faroeste, adoro e preciso ter uma leitura com muitos tiros e escarros de homens rústicos... mas então quando li a sinopse percebi que a história seria narrada por outro escritor (que é um personagem) e que estava escrevendo sobre a rivalidade entre duas famílias, os Ramirez e os Marlowes. Me encantei e fui conferir outras informações...

"Se tem zumbis no meio, só pode ser bom." - Daniel Galera (está na orelha do livro)

Eu concordo com o Galera e sinceramente, como um livro poderia ser ruim quando se tem um faroeste zumbificado? E não era para menos eu amei a leitura desse livro. Pena que faz um certo tempinho e não saberei colocar tantas informações nessa resenha quanto gostaria, mas acredito que os poucos comentários que farei possa deixá-los curiosos.

O velho que escreve a história é hilário, além de ser solitário e não saber distinguir as horas, ou se é dia ou noite, fez com que a imagem desse personagem se tornasse bem íntima e engraçada. Mas ver como ele perdeu essa intimidade com seu filho me deixou com pena e até mesmo queria poder tirá-lo da frente do teclado para poder conversar um pouco...

Os personagens que vivem na cidade de Mavrak (no faroeste) são tão hilários quanto o velho, além de terem o costume rústico que já comentei e que era esperado, também vivem em completa tensão por causa da rivalidade das duas famílias.

"E OS MORTOS voltarão à vida!" 

Quando os zumbis finalmente entram na história vai tudo para o espaço e eu me peguei pensando, quando a morte se aproxima todos passam a ser iguais. Adorei esses zumbis e o que leva os mortos a saírem de seus buracos atrás de cérebros...

Indico esse livro para todos os amantes de faroeste e de zumbis, mas devo afirmar que esse é um livro que descreve cenas bem arrepiantes com sangue e tem um certo apelo sexual. Portanto crianças não leiam! rs]

Posso dizer que a minha cópia ficou com a capa mais bonita, adoro o efeito do sol nesse garoto de chapéu... enfim, vale a pena conferir e fica a dica, então adicionem no Skoob.

Sobre o autor:

Antônio Xerxenesky é um porto-alegrense nascido no fim de 1984. Autor do romance "Areia nos dentes" (Não Editora, 2008; Editora Rocco, 2010), já publicou narrativas curtas em antologias como "Ficção de Polpa" e o livro de contos "Entre" (Fumproarte/Ed. Movimento). Seu conto "O desvio" (que integra a antologia Ficção de polpa, vol. 1) foi adaptado para a tevê por Fernando Mantelli em 2007. Ainda é uma novidade nas prateleiras de literatura – mas não por muito tempo. Támbém atua como editor na Não Editora, onde organiza a revista online de crítica literária Cadernos de Não-Ficção.


© ATRASADA PARA O CHÁ- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por