Redes Sociais

O Inverno das Fadas por Carolina Munhóz


"Candidata a seguir os passos de Alexandra Adornetto e Cassandra Clare." - Revista Época, referindo-se às autoras de Halo e da série Os Instrumentos Mortais.

O Inverno das Fadas foi escrito por Carolina Munhóz - mesma autora de A Fada e Feérica - e publicado pela editora Fantasy - Casa da Palavra. Logicamente o livro nos leva ao mundo das fadas e de seus poderes, que na maioria das vezes são retratados como benéficos para a humanidade, sendo as fadas seres do bem. Mas nesse livro vemos que algumas fadas podem trazer muitos prazeres para os humanos mas com um preço terrível, do qual muitos morreriam para sentir.

No universo das fadas há um tipo especial chamado de Leanan Sídhe, essas fadas sempre se relacionam no mundo dos humanos, não apenas pelo prazer mas por necessidade, já que necessitam de sua energia para sua própria sobrevivência. Elas servem de inspiração para muitos artistas, não importa qual tipo de arte esses humanos que tem o prazer (será?) de conhecê-las conseguem chegar ao ápice do seu sucesso, muito dinheiro e fama é o que os aguarda, mas claro que tudo tem um preço. E esses humanos sortudos pagam com a vida, mas tudo dividido em parcelas. A vida vai se esvaindo aos poucos.

Sophia Coldheart é uma dessas fadas, mas não sente o mesmo prazer que todas as outras. Isso porque ela é diferente delas e tudo se confirma quando sua próxima vitima é William. Ele é um escritor de talento, mas precisa de um empurrãozinho para fazer sua carreira deslanchar e o encontra nos sonhos que tem com uma bela mulher e que o enfeitiçou ao ponto de todas as suas obras serem sobre esse ser sobrenatural.

Uma paixão entre presa e caçador acontece e Sophia fica presa em um impasse, seu amor por William pode matá-lo, mas se não continuar com o relacionamento quem corre o risco de morrer é ela. Muitas decisões devem ser tomadas pelas duas partes. Uma fada que sempre fascinou homens agora ficou fascinada por um simples mortal e um ser humano que tem como escolha viver uma vida simples e duradoura ou uma curta mas incrível e intensa?

Eu havia lido algumas resenhas sobre o livro e fiquei fascinada com a ideia de que o sucesso que alguns artistas tem, surgem de seres sobrenaturais e de que suas mortes trágicas sejam fruto desse preço a pagar. Há uma crítica à esse cenário, onde artistas se envolvem com o alcoolismo e drogas e acabam perdendo a vida jovens. Alguns são  bem conhecido por nós e sempre são lembrados quando esse assunto é tocado, como o lendário Kurt Cobain e o mais recente Amy Winehouse.

As referências modernas deram um toque final numa narrativa leve e descontraída, a autora soube manter um ritmo bom e a leitura fluiu bem. Mas devo salientar que a personagem principal não conseguiu me conquistar, eu lia mas não torcia para que tudo acontecesse as mil maravilhas para ela. Não sei explicar bem o motivo mas "meu santo não foi com o dela". rs

No final do livro há um lista de músicas do livro e fiquei encantada por tantas bandas e cantores ótimos escolhidos. A lista é bem variada e tem de cantores mais pop como Katy Perry, Nelly Furtado e The Wanted até bandas de rock pesado como Slipknot, System of a Down e Nirvana. Mas uma das músicas ficou como um marco do livro e acho que o definiu bem, confiram abaixo:


Essa leitura foi minha escolha de Março para o Desafio Literário 2014.
© ATRASADA PARA O CHÁ- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por